Arquivo de etiquetas: Corpo

Mapas de Espelho – É preciso dizê-lo

é preciso dizê-lo   Uma vez mais a rua abria-se, a cor, essa, condescendia no volteio, durante os olhos estultos alargando a satisfação, a visão, essa deriva rápida a entrar em cada coisa, é preciso dizê-lo; outra vez fez estender … Continuar a ler

Publicado em Mapas de Espelho | Etiquetas , , , , , | Publicar um comentário

Respigar – O que foi que eu fiz ao dizer

quando não souberes a escuridão
corre por entre o vinho e procura
as suas bagas e depois o sol
e depois sacia, só então, o apelo
do corpo que adormece; Continuar a ler

Publicado em Respigar | Etiquetas , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Respigar – O que foi que eu fiz por dentro

No, no. Yo no pergunto, yo deseo.                                                    Lorca   O que foi que eu fiz … Continuar a ler

Publicado em Respigar | Etiquetas , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Respigar – O que foi que eu fiz amar: dilacera

No, no. Yo no pergunto, yo deseo.  Lorca                                O que foi que eu fiz amar: dilacera lábio visível de cada uma das palavras   num … Continuar a ler

Publicado em Respigar | Etiquetas , , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Respigar – O que foi que eu fiz querendo o agora

No, no. Yo no pergunto, yo deseo.                                 Lorca   O que foi que eu fiz querendo o agora   iluminado   vais buscar chuva … Continuar a ler

Publicado em Respigar | Etiquetas , , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Respigar – O que foi que eu fiz ao dia de festa

No, no. Yo no pergunto, yo deseo.                                Lorca   O que foi que eu fiz ao dia de festa, como uma flor deitada à beira … Continuar a ler

Publicado em Respigar, Uncategorized | Etiquetas , , , , , , , , , , , | Publicar um comentário

Mateus 7.6 – XXVII

  XXVII   No tempo das buganvílias, amor, as noites segredam os seus  desejos em estivais sorrisos de pálpebras, e os corpos  aproximam-se nos precipícios como se tivessem asas que os  resgatassem na queda.   Mas nos promontórios não há … Continuar a ler

Publicado em Mateus 7.6 | Etiquetas , , , , , , , | Publicar um comentário