Mapas de Espelho – Como se se dissesse

como se se dissesse

 

A glória começa e acaba em cada corpo, a inocência alcança o limite da lâmina nos seus destroços,
como se se dissesse: moinho de velas em foice nas veias da vontade vã;
como se um capricho fosse: começar e acabar certo dentro de si centrado ou desorbitado no humano sem sinónimo.

 

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Mapas de Espelho, Uncategorized com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

Uma resposta a Mapas de Espelho – Como se se dissesse

  1. Léa diz:

    Ah, mirrors, they have much to answer for.

    Thank you for choosing to follow one of my blogs. I do hope you continue to enjoy the posts.

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s